Blog


HomeTown Paris blog offers you a selection of articles devoted to the destination Paris, its news, culture, activities and of course, its people

Gourmet

O legado da Soul Food em Paris

3 anos atrás - Julie D.

Soul food, o sabor do Sul dos Estados Unidos Quando lhe falam em "frango frito Americano", em que é que pensa? Não, não, não se trata da marca de fast-food de Kentucky ... O frango frito é um dos pilares da soul food que, tal como a música soul, pertence à cultura dos Afro-Americanos. Soul food é a rica e generosa culinária do sul dos Estados Unidos, com sabores da infância recordados com um brilho nos olhos. É também um tipo de cozinha que carrega o terrível fado dos escravos Americanos: inspirado pela sua herança Africana, que mantiveram o melhor possível, apesar do seu desenraizamento e sofrimento. A soul food é uma cozinha popular, com ingredientes e preparações simples que proporcionam sempre resultados revigorantes. O mínimo que se pode dizer é que não se trata de uma cozinha para quem está de dieta. Encontramos o frango frito com leite fermentado, claro, mas também pão de milho doce, batata doce e banana-da-terra frita, para além dos "hush puppies", entre outros. A soul food tradicional faz uso intensivo de banha... No entanto, há também alguns vegetais típicos, como quiabo, couve forrageira ou couve galega. Pode também juntar os verdadeiros chitterlings, um estufado de tripas... À primeira vista, não parece ter nada a ver com a aclamada elegância da cozinha Francesa – no entanto, graças a circunstâncias históricas particulares, a soul food Afro-Americana tem tido os seus esplêndidos momentos em Paris... Foi descoberta a partir de um episódio há muito esquecido da história Franco-Americana e dos seus descendentes. Chez Haynes, o restaurante da comunidade Afro-Americana Em Paris, a época que se seguiu aos horrores da Segunda Guerra Mundial foi de libertação em vários aspetos. Para os soldados Afro-Americanos que vieram combater na Europa, a descoberta de Paris foi também a descoberta de uma cidade que, apesar de não ser totalmente isenta de racismo, claro, lhes ofereceu muito mais liberdade do que o seu país de origem. Nessa altura, a segregação ainda estava em vigor nos estados do sul. A luta pelos direitos civis levaria eventualmente à sua abolição, mas não antes de 1965. Em França, por outro lado, nada impedia um homem negro de casar com uma mulher branca Francesa e foi isso que Leroy Haynes fez. Após o armistício, este Americano atlético ficou em França em vez de regressar aos Estados Unidos. Conheceu Gabrielle Lecarbonnier, com quem casou em 1949. Eles abriram o Gabby and Haynes na Rue Manuel. Depois do seu divórcio, Leroy reabriu o Chez Haynes na Rue Clauzel, ao fundo do Butte Montmartre. O seu restaurante na Rue Manuel tornou-se o local de topo da cultura negra Americana em Paris. Intelectuais e artistas negros, de visita ou a residir em Paris, reuniam-se aqui: os escritores James Baldwin, Richard Wright e Chester Himes, o pintor Beauford Delaney, os músicos Louis Armstrong, Sidney Bechet, Cab Calloway, Count Basie e Miles Davies. Com uma personalidade excêntrica, Leroy Haynes era também ator nas horas vagas e desempenhou papéis em vários filmes de gangsters. Podemos vê-lo em Three rooms in Manhattan, dirigido por Marcel Carné em 1965, e num filme de Michel Audiard de 1971: Le cri du cormoran, le soir au-dessus des jonques (O Grito de Alcatraz, à Noite Sobre os Juncos). Paris, órfã de soul food? Não é bem assim! Após o desaparecimento de Leroy Haynes em 1986, a sua terceira mulher Maria, de origem Portuguesa, continuou a servir no restaurante Haynes o tipo de cozinha que tornou o restaurante famoso. Durante 23 anos manteve intacta a chama da soul food, ao mesmo tempo que tentou renovar a ementa oferecendo também pratos Brasileiros. Infelizmente, os momentos altos do Chez Haynes pertencem agora ao passado: a comunidade Afro-Americana em Paris já não é numerosa e as noites míticas em que os grandes nomes negros da literatura e do jazz se reuniam aqui não passam de uma memória. O restaurante fechou as suas portas em 2009 e assim se virou uma importante página da história Afro-Americana em Paris. Durante alguns anos, não houve grandes novidades em termos de cozinha Americana. Os restaurantes de fast-food continuaram a sua expansão implacável, oferecendo aos Franceses mal informados a ilusão de comida "verdadeiramente" Americana. Na altura, poderíamos ter tentado trazer como consolação outro prato da soul food que reflete a história mista dos Estados Unidos: o pão de milho. Este pão era originalmente de uma receita Nativa Americana, que foi adotada e enriquecida, para se tornar numa típica receita Americana, particularmente apreciada na cozinha Sulista. O pão de milho é tradicionalmente feito com gordura de bacon, mas pode muito bem experimentar uma versão mais leve do pão de milho! Frequentemente os Franceses ainda acreditam que não existe gastronomia Americana – os preconceitos que consideram como prato nacional o conjunto hambúrguer-batatas fritas ainda subsistem. Este símbolo da "junk food" detestado pelos Gauleses tem, contudo, pouca relação com a cozinha gourmet Americana. E se o frango frito parecer demasiado semelhante a uma certa ementa de de fast-food, é necessário eliminar essas ideias. Nos últimos anos, jovens restaurateurs Americanos têm tido a ousadia (alguns espíritos mais desagradáveis diriam mesmo o descaramento) de percorrer a enorme distância até França para mostrar de que é que os Yankees (alcunha que os Franceses dão aos Americanos) são capazes. Este é o caso de Chief Braden Perkins, nascido em New Orleans – poder-se-ia dizer que a soul food faz parte da sua herança genética. Após o sucesso do seu primeiro restaurante Hidden Kitchen, abriu em 2011 um novo restaurante, Verjus, sempre com a sua parceira Laura Adrian. Verjus é um restaurante chique, cuja ementa de degustação muda com as estações e as inspirações do Chef, e um bar de vinhos mais informal. O Frango Frito com leitelho, salada de repolho e pimentos jalapeños é uma versão revisitada e mais refinada do grande clássico. O sucesso do Verjus, sem se contrariar a si mesmo, foi repetido por Braden Perkins com Ellsworth, um pouco mais à frente na mesma rua. Uma vez mais, encontramos aqui um autêntico frango frito acompanhado com vegetais marinados, porque em equipa que ganha não se mexe. Restaurante Verjus - 52, Rue de Richelieu, 75001 – Segunda a Sexta das 19h às 23h - Pyramides, Palais Royal, estações de metro Bourse ou Quatre Septembre Restaurante Ellsworth - 34, Rue de Richelieu, 75001 - horário: almoço, das 12:15 às 14:15; jantar, das 19h às 22:30; Brunch, das 11:30 às 15h - metro Pyramides ou Palais Royal A soul food revisitada: A herança Africana e Caribenha em cruzamento de raças Fiel às suas raízes Africanas e Caribenhas, a soul food renasceu em Paris numa versão que poderia ser chamada "Francesa". Inspirados na sua própria herança, os restaurateurs Franceses não hesitam em apresentar as suas versões pessoais desta cozinha familiar. Não seria a primeira vez que os Franceses, incitados pelas modas Americanas, seriam encorajados a redescobrir uma parte negligenciada das suas próprias origens. Gumbo Yaya decidiu especializar-se em: frango frito e waffles autenticamente Americanas, sendo esta combinação tão popular que não é incomum ter que se esperar uma hora para ser servido... Ainda assim, de acordo com os seus clientes, vale mesmo a pena esperar e o aborrecimento será esquecido quando trincar as waffles crocantes, cobertas com diversos molhos. Lionel, o proprietário, venera o frango frito com leite fermentado, em memória das suas tias Americanas que o alimentavam com soul food em Macon, perto de Atlanta. Gumbo Yaya - 3, Rue Charles Bobin, 75010 – Horário: das 12h às 14h30 e das 19h30 às 22h30, encerrado aos sábados e domingos – metro Colonel Fabien. A carrinha New Soul Food, por outro lado, apresenta uma resoluta cozinha de fusão, "afrodisíaca" de acordo com as palavras do seu criador, Rudy Laine. Lá podemos encontrar o sagrado frango, revisitado num estilo Subsaariano ou Caribenho. As origens Camaronesas e Guadalupense de Rudy inspiram sabores, como o frango refogado com molho de caril, coco e baunilha, molho de banana-da-terra e amendoim, attiéké de mandioca e molho yassa, ou o miondo safou de peixe. Seguimos gulosamente o camião por Paris, mas, uma vez mais, tem que se chegar cedo para evitar as longas filas! A carrinha New Soul Food está muitas vezes em frente à Biblioteca mk2, podendo encontrar o horário no site – a localização: Biblioteca mk2, metro Bibliothèque François Mitterrand ou Quai de la Gare. Quanto ao Niébé, o nome do restaurante celebra o cornille, o feijão-frade ou "black eyed pea" nos Estados Unidos, que é também parte integrante da soul food. O Chef Rosilène Vitorino leva a soul food até ao Brasil e aos seus sabores tropicais. O restaurante propõe a sua ementa em duas versões, clássica e vegan – permitindo aos vegetarianos descobrir estes sabores únicos, sem frango frito ou banha de porco! Restaurante Niébé – 16, Rue de la Grande-Chaumière, 75006 – aberto de terça a sábado das 12h às 15h e das 19:30 às 24h – metro Vavin

Ler mais
O legado da Soul Food em Paris

O legado da Soul Food em Paris

Eventos

Exposições temporárias a não perder em Paris

3 anos atrás - Pauline P.

Irão fechar as portas rapidamente, cortando definitivamente a cortina sobre obras de arte raras ou coleções inéditas. Muitas exposições importantes terminam em Paris e vão terminar em fevereiro ou março. Não demore mais para andar sobre os caminhos dos museus parisienses! Para a Fundação Louis Vuitton De outubro de 2016 até 05 de março de 2017, o navio de vidro assinado Frank Gehry recebe a prestigiada coleção de arte moderna pelo russo Sergei Shchukin. A exposição "Ícones de Arte Moderna: A Colecção de Shchukin" é implantada em todos os espaços do museu, criados por Bernard Arnault, CEO do grupo LVMH: descobrirá 160 obras-primas entre as quais pinturas e esculturas de Braque, Cézanne, Degas, Gauguin, Maillol , Marquet, Matisse, Monet, Pissarro, Picasso, Renoir e Signac... mas também as criações de artistas russos da vanguarda como Malévitch, Kliou, Tatline, Rodchenko... No Palais Galliera Quem carrega o quê? Esta é a pergunta feita pelo museu de moda de Paris, Palais Galliera, através da "Anatomia de uma coleção" que termina a 12 de fevereiro de 2017. Do vestido usado em cortes reais para o fato azul de trabalho, entre anónimos e celebridades, a exposição une cerca de cem peças de vestuário e acessórios para decifrar a moda do século XVIII até os dias de hoje. Uma verdadeira viagem através do tempo, que traça os costumes da corte de Marie-Antoinette ou revela as roupas favoritas de Audrey Hepburn ou Sarah Bernhardt... Museu de Arte Moderna de Paris Até 5 de março, o Museu de Arte Moderna dedica uma exposição a Bernard Buffet (1928-1999), um dos mais famosos pintores franceses do século XX, mas também um dos mais controversos. Cerca de cem peças de arte são apresentadas, retraindo os seus temas favoritos: palhaços, é claro, mas também ciclos religiosos, mitológicos ou literários. No Museu d’Orsay Esta exposição seguinte termina também no dia 5 de Março, sobre Frédéric Bazille no Musée d'Orsay, que destaca o trabalho deste jovem artista que morreu em combate aos 28 anos de idade, mas que em poucos anos nos deu algumas das obras-primas mais surpreendentes. Um génio autêntico, que estave na origem do Impressionismo. Organizado de forma temática e cronológica, a viagem combina as obras de Bazille com as de seus contemporâneos como Delacroix, Courbet, Manet, Monet, Renoir, Fantin-Latour, Guigou, Scholderer e Cézanne. No museu de Artes Decorativas Já não apresentamos Jean Nouvel, um arquiteto francês de renome mundial, que, além dos seus edifícios, também se distinguiu pela sua fabricação de mobília e objetos do dia-a-dia. É nesta faceta menos conhecida do arquiteto que o Museu de Artes Decorativas desvenda até 12 de fevereiro, exibindo as suas peças de mobiliário icónico.

Ler mais
Exposições temporárias a não perder em Paris

Exposições temporárias a não perder em Paris

Notícias

Paris romântica para o dia de Valentim

3 anos atrás - Pauline P.

Que cidade seria mais romântica do que Paris para declarar a sua chama? A capital está cheia de recantos e esconderijos com um charme antiquado, parques bucólicos, restaurantes íntimos ... tantos lugares perfeitos para um amor de coração aberto. Para o Dia dos Namorados, siga-nos até aos locais secretos mais românticos em Paris... O Museu da Vida Romântica O seu nome resume bem o lugar. Este museu (livre!) é dedicado à corrente do romanticismo, mas é sobretudo um lugar fora do tempo, favorável aos passeios românticos. Além das peças de arte do artista Ary Scheffer, ex-ocupante do lugar e da coleção dedicada à mulher de letras George Sand, é um cenário bucólico que atrai visitantes. Uma pequena passagem pavimentada, uma casa vasta, um jardim de flores, e ainda estará em Paris! Museu da Vida Romântica – Hôtel Scheffer-Renan - 16 rue Chaptal, 75009 Metro: Pigalle o Saint-Georges Empoleirado numa árvore Este é um lugar ideal para uma noite romântica. Poderá jantar sentado em baloiços ou empoleirado em pequenas cabanas suspensas ou casas na árvore. Intimidade garantida! Certifique-se de reservar com antecedência para ter a certeza  que terá um lugar numa das duas mesas de baloiço. Também terá a oportunidade de desfrutar de massagens num quarto antes ou depois da sua refeição. Um endereço verdadeiramente incomum para um memorável jantar a dois! No cimo de uma árvore – 1 rue du 4 septembre 75002 Metro: Bourse A ponte de Parc Monceau No 8º distrito de Paris (e na fronteira da parte chique do 17º distrito), Parc Monceau é um dos jardins mais agradáveis em Paris. Um jardim ao mesmo tempo familiar e romântico, criado na segunda metade do século XVIII como um jardim de ilusões e prazeres. A pequena ponte veneziana que se esconde lá é o marco dos amantes, e é muito romântico para uma sessão de fotos para dois... A parede do eu amo-te Escondido na pequena praça Jehan Rictus perto do metro Abbesses, no monte Montmartre, o muro do "I love you" foi criado para representar a reconciliação do povo. Se as paredes e as fronteiras geralmente têm a função de dividir, a parede do "Eu amo-te" é, em vez disso, um lugar de fraternidade. Dedicado ao amor, este trabalho tornou-se um ponto de encontro para os amantes de todo o mundo, que vêm para ler os 311 "Eu te amo" escrito em 250 línguas diferentes. A Pont des Arts e a Pont de l’Archevêché A tradição queria que os amantes pendurassem na Pont des Arts e na Pont de l'Archevêché, cadeados mais ou menos imponentes, nos quais foram gravados os seus nomes ou iniciais, para deixar um traço do seu amor na capital do romantismo ... Mas infelizmente, com o peso dos cadeados a ameaçar a estrutura das pontes, os cadeados foram removidos em 2015. Estas duas pontes permanecem no entanto lugares de passeios emblemáticos para os amantes, e também para piqueniques para dois, muito apreciados pelos casais. Mirante no Buttes Chaumont Como todos os Mirantes, o dos Buttes Chaumont é um lugar bastante tranquilo no inverno, mas tem que ter a coragem de subir os 173 passos, apesar do frio! Localizado numa ilha em que o acesso é feito por uma ponte ou uma passarela, é sem dúvida isolado. Com o seu templo italiano allures (de que é diretamente inspirado), oferece-nos uma vista de Montmartre, da Torre Eiffel e também do 19º distrito que o rodeia. Um local realmente romântico onde deverá abraçar para aquecer! Os barcos de bois de Boulogne Para os marinheiros corajosos ou para os amantes, os barcos do Bois de Boulogne, estão disponíveis para serem alugados a partir de 15 de fevereiro. Desfrute de um passeio na água, longe da azáfama, para partilhar um momento agradável a dois nos pulmões verdes da capital.

Ler mais
Paris romântica para o dia de Valentim

Paris romântica para o dia de Valentim

Estilo de Vida

À Descoberta dos mercados Parisienses…

3 anos atrás - Pauline P.

Para descobrir o coração borbulhante de uma cidade não existe nada mais típico do que mergulhar nos mercados de bairro. Os parisienses estão particularmente apegados a este legado da Velha Paris e todos os fins de semana caminham pelas vielas dos 82 mercados de produtos alimentares da capital. Para viver uma experiência parisiense autêntica, siga o nosso guia para a descoberta dos lugares com mais convívio ou mais notáveis! Tradicional e preços bem razoáveis O Mercado d’Aligre, abundante No coração do 12º bairro, o mercado Aligre, está situado no meio de uma encantadora praça cercada por cafés e lojas, é sem dúvida conceituado. Há alguns anos atrás, foi um dos mercados mais baratos em Paris, mas foi requalificado recentemente, no entanto continua a ser um mercado genuíno e abundante. Bancadas de frutas e legumes locais de diferentes lugares e antiguidades reúnem-se, para a felicidade de uma clientela variada proveniente dos quatro cantos da capital. Assim que o sol aparece, os terraços à volta enchem-se, aumentando a simpatia do lugar. O Mercado d’Aligre – 3 Place d’Aligre, 75012 Paris – Metro: Ledru-Rollin – Aberto todos os dias (excepto segundas-feiras), das 7h - 14h. O Mercado de Belleville, cosmopolita Este é o local em Paris onde todas as culturas e nacionalidades se reúnem. Ao lado de stands de primeira classe de boa qualidade e frescura impecável, também encontramos uma série de produtos de segunda classe, o que não foi vendido do Rungis, a preços que são imbatíveis. No final do mercado, os preços são intensamente reduzidos, numa atmosfera elétrica e amigável. O Mercado de Belleville – 63 Boulevard de Belleville, 75011 Paris – Metro: Couronnes ou Belleville – Aberto terças e sextas-feiras 7h – 14h30. O Mercado de Barbès, O melhor preço Este grande mercado está instalado sobre o metro aéreo, e é o mais barato de Paris, cujo lema poderia ser "1 euro por quilo!". Resultado: a entrada tem mais pessoas do que o próprio mercado; A atmosfera é frenética; Aqueles que sofrem de Agorafobia devem afastar-se. Saímos de lá um pouco doridos devido aos empurrões e ao pisar de pés, mas com três sacos cheios por 15 euros. Uma capital multiétnica da capital! O Mercado de Barbès – Boulevard de la Chapelle, 75018 Paris – Metro: Barbes-Rochechouart – Abre às quartas-feiras das 7h – 14h30 e sábados das 7h às 15h. O Sofisticado Mercado de Batignolles Paris, em honra do Orgânico O mercado de Batignolles serve como referência para os ecologistas e os seguidores dos itens orgânicos. Este mercado grande tem um charme especial com a sua ampla seleção de frutas e legumes e com os seus comerciantes que interagem com os seus clientes regulares. Um pouco de militância e uma série de conselhos trazidos por estes comerciantes. Fala-se sobre sementes germinadas, leites vegetais e pão sem glúten, e os mais ousados irão testar um sumo de ervas recém-prensadas. No Batignolles, é orgânico, é bom, e é caro! A qualidade e a tendência, sem dúvida, têm um preço... O Mercado de Batignolles – 64 rue des Batignolles, 75017 Paris – Metro: Rome, La fourche. Abre aos sábados, das 9h às 14h. O Mercado das 'Crianças Vermelhas', o mais velho em Paris Num canto tranquilo do bairro de Marais, irá encontrar o mais antigo mercado de alimentos em Paris, o Enfants Rouges. O mercado foi fundado em 1629 e o seu nome vem da homenagem a crianças do orfanato, que estavam vestidas com uniformes vermelhos. Hoje, encontramos comida fresca, mas também e acima de tudo stands de pratos cozinhados dos 4 cantos do mundo. Um gigantesco salão de dança ao ar livre, pode sentar-se aqui com a sua família ou amigos para saborear pratos marroquinos, japoneses, libaneses, chineses ou das caraíbas. Para ter sucesso, é necessário chegar cedo para encontrar uma mesa... O Mercado das Crianças Vermelhas – 39 Rue de Bretagne, 75003 Paris – Metro: Filles du calvaire – terça-feira, quarta-feira, quinta-feira: das 8h30 às 13h e das 16h às 19h30 - sexta, sábado: das 8h30 às 13h e das 16h às 20h - domingo: das 8h30 às 14h. O chic The Marché Saxe-Breteuil, A vista mais bonita Este magnífico mercado que se estende ao longo da Avenida de Saxe oferece uma vista soberba sobre a Torre Eiffel. Muito agradável, não muito cheio e com uma ampla escolha, este mercado oferece produtos de alta qualidade, a preços adequados aos chiques do bairro e da clientela. Uma bela caminhada muito perto do Champ de Mars. O Mercado de Saxe-Breteuil – Avenue de Saxe, 75007 Paris – Metro: Ségur – quinta e sábado 7h – 14h30 The marché Raspail Orgânico, novamente mais orgânico, e especialmente na moda, a 2 passos do Bon Marché, o armazém mais exclusivo da capital. O mercado Raspail é o mercado orgânico mais conhecido, mais antigo e mais clássico de Paris. E também um dos mais caros, mas os produtos oferecidos são de excelente qualidade, quer esteja à procura de alimentos, produtos de beleza ou produtos de manutenção, aqui tudo é garantido sem OGM, livre de pesticidas e não testado em animais. O Mercado Raspail – Boulevard Raspail, 75006 Paris – Metro: Sèvres-Babylone – Domingo (9h00-14h00) Os originais O Mercado das Pulgas de Saint-Ouen, Paraíso de antiguidades Vestuário, antiguidades, objetos vintage...poderá encontrar tudo nesta ‘feira da ladra’, entre os mais famosos do mundo. Entusiastas da caça antiga e apaixonados deste tipo de mercado, vai encontrar a sua felicidade em Saint-Ouen, entre pequenas salas a preços acessíveis e monumentos de design. Porcelana, instrumentos musicais, lençóis antigos, ícones de design, gaiolas de pássaros, uniformes militares, a diversidade está bem presente em 7 hectares e 1.300 lojas no mercado. Um dado curioso, os vendedores são bastante discretos e permitem que olhe à vontade. As Pulgas de Saint-Ouen – Rue Jules Vallès, 75018 Paris (entre Porte de St-Ouen e Porte de Clignancourt) – Metro: Porte de Clignancourt – Abre sábado (9h - 18h),  domingo (10h – 18h) segunda-feira (11h - 18h) O Mercado de Saint-Pierre, O templo de tecido Não é um mercado, mas é como um, e tem o nome dum. O mercado Saint Pierre, em Montmartre, é o templo de tecido. De todos os materiais, todas as cores, a todos os preços, pequenas mãos criativas e designers famosos investem nesta loja de 6 andares para encontrar inspiração e começar a trabalhar. O Mercado Saint-Pierre – Rue Charles Nodier, 75018 Paris – Aberto de segunda a sábado (10h - 18h30) O Mercado das Flores e dos Passáros, Poesia no seu estado bruto No coração da Ile de la Cité, a 2 passos de Notre-Dame de Paris, uma ilha de poesia e doçura...O mercado é composto por dois grandes edifícios e dezenas de pequenas bancas, em que rosas, orquídeas, lírios, tulipas, bulbos, gaiolas de pássaros e livros sobre jardinagem são vendidos por entusiastas. Se o mercado está aberto todos os dias, os vendedores das bancas estão lá apenas aos domingos. Eles vendem pombos, periquitos e muitos outros pássaros exóticos. O Mercado das Flores e dos Pássaros – Louis Lépine, Ile de la Cité, 75004 Paris – Metro: Cité – Aberto todos os dias

Ler mais
À Descoberta dos mercados Parisienses…

À Descoberta dos mercados Parisienses…

Vida Noturna

Imersão noturna no centro de Paris

3 anos atrás - Ludovic M.

Coruja especialista, quer descobrir Paris quando os turistas estão a dormir e as ruas desertas? A escuridão que sombreia edifícios e dá-lhes um olhar místico fascina-o? Siga os nossos melhores monumentos e lugares incomuns que abrem as suas portas ao cair da noite... Basílica do Sagrado Coração de Montmartre Com vista para Montmartre, a Basílica de Sacré-Coeur é o segundo edifício católico mais visitado na França, depois de Notre-Dame de Paris. Portas abertas continuamente das 6h às 22h30, as suas cúpulas brancas e os frescos são ampliados ao entardecer pelas luzes. Ao visitar a basílica à noite, irá desfrutar de uma vista panorâmica excepcional da capital a dormir, mas ainda com luzes. Para o católico, a Basílica de Sacré-Coeur também está acessível para a oração durante toda a noite. Alojados na recepção da Basílica, os fiéis seguem-se uns aos outros para rezar durante a noite. O Louvre Para descobrir as obras-primas do Louvre de um ângulo diferente, aproveite as visitas  noturnas à quarta e sexta-feira à noite: visitas guiadas sem precedentes são organizadas, para que possa navegar nas coleções nas melhores condições. O Sena à noite Se o barco é um dos clássicos para qualquer visita à capital, passear de barco em Paris à noite dá-nos outra perspetiva da cidade, com as suas pontes e monumentos iluminados. Paris assume o aspecto de uma decoração de cinema. Paris à hora do crime Becos escuros, praças lúgubres e travessas de cortar a respiração, descubra o outro rosto de Paris durante uma visita noturna organizada por "Paris à pas contés": a Paris dos crimes. Esta original e assustadora visita guiada permite-lhe admirar os bairros do Louvre, Châtelet e Ile de la Cité sobre o céu negro, para descobrir os factos esquecidos. O mercado internacional de Rungis Para os amantes da gastronomia francesa, o mercado de Rungis é o paraíso. É o único mercado no mundo a apresentar uma vasta gama de produtos frescos: peixe, carne, produtos lácteos e queijos, frutas e legumes e flores, que são todos transportados por caminhões todos os dias em cerca de 230 hectares da área do mercado. Em Rungis, a cada ano, só em comida corresponde a 1.500.000 toneladas, e 32 milhões de flores são cortadas. E este mundo muito especial e profissional agora abre as suas portas ao público em geral para visitas que começam às 5 da manhã: irá visitar os pavilhões de carne, produtos lácteos, frutas e legumes e flores, e para terminar com um brunch revigorante. Uma experiência única! A Cidade Universitária de Paris A Cidade Universitária de Paris é um desses lugares desconhecidos que merecem ser vistos. É o mundo inteiro que foi convidado para a capital, graças a estas residências universitárias que acolhem os estudantes dos diferentes cantos do mundo. Suécia, Japão, Argentina, Índia...os pavilhões reúnem-se numa alegre mistura de arquitetura. Algumas casas foram construídas ou decoradas por ilustres arquitetos, como Le Corbusier ou Jean Prouvé. A Cidade organiza visitas guiadas, de dia e de noite. Graças à escuridão da noite, projeções feitas nas fachadas de algumas casas convidam-no a descobrir a história de artistas de renome, ex-residentes ou não, cujo trabalho ainda nutre o espírito humanista do lugar. Tais como Senghor, Salgado, Cortázar e o pintor japonês Foujita.

Ler mais
Imersão noturna no centro de Paris

Imersão noturna no centro de Paris